Receba as atualizações por e-mail

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Azeite extra-virgem Omed

Tenho postado muitos produtos internacionais, pois geralmente há muitas novidades e nem todos têm fácil acesso ou tempo para pesquisar. Concordo que, muitas vezes, podem estar fora da nossa realidade, seja por custo ou mesmo por aspectos culturais, contudo é sempre um bom aprendizado e pode trazer inspiração.

Antes de qualquer projeto, costumo pesquisar não só o mercado nacional, mas também o internacional. Além disso, podemos encontrar aquela luz no fim do túnel mesmo em outras categorias. Eu, que atualmente trabalho com cosméticos, já me inspirei em produtos alimentícios. Claro que sempre com bom senso.

Acabo de ver um projeto para azeites extra-virgens que muito lembram cosméticos. É limpo/clean, tem a presença marcante do branco, passa suavidade e pureza.

A marca é Omed e apresenta duas variações: Arbequina e Selection.



Talvez muitos digam que não gostam do branco e também do opaco, mas podem ter muito valor.

O branco traz destaque para o produto em prateleiras de mercado provavelmente cheias de concorrentes parecidos uns com os outros, certo de que a maioria tende para os tons de verde.

Na nossa cultura ocidental o branco comunica pureza, portanto nada mais apropriado que utilizar uma cor predominante (neste caso o branco, claro) para transmitir essa sensação quase instantaneamente.



Vamos a questão do frasco opaco, que é um pouco mais complexa, já que esse assunto não se trata só de design e marketing, mas também de saúde. Há um tempo atrás, estava lendo uma matéria sobre nutrição, sabemos que um bom azeite precisa ser extra-virgem, isso não é novidade, mas o que me surpreendeu foi quando descobri que o azeite deve vir acondicionado em embalagens opacas, pois ele oxida em recipientes transparentes e perde suas propriedades benéficas à saúde. Quando eu precisava comprar um azeite extra-virgem, comprava aqueles em garrafas transparentes ou translúcidas, sejam em tons de verdes (predominantes), âmbares ou mesmo fumês. Na verdade, desconheço a existência de embalagens 100% opacas para azeites extra-virgens, não me lembro de nenhuma. Antes que imaginem que sou louca, passou da hora de fazer um adendo, para quem pensou nas latas por serem opacas, esqueça, enlatados jamais! Os azeites enlatados foram condenados nessa matéria, se trazem malefícios, provavelmente sim, mas é outra história, infelizmente não tenho formação em Nutrição nem esses dados no momento.

Todo o conjunto ficou elegante, sofisticado, gostei muito das cores utilizadas e da simplicidade. A ilustração do galho de Oliveira foi muito bem aplicada. Frascos dispostos lado a lado permitem que as ilustrações se completem e formem uma parede maior. Resultado: mais impacto e destaque nos PDV's e aos olhos do consumidor.



As embalagens foram desenvolvidas pelo estúdio LeBranders situado na Espanha.

Nenhum comentário: